Aleatórios
31 maio 2016 • Por Giu Menezes

Resumo do Mês: Maio/2016

Fico muito impressionada quando chega o fim do mês e é hora de fazer o resumo por dois motivos: 1- raramente acredito que realmente já acabou o mês de novo e; 2- nunca me dou conta do quanto posto durante 30 dias e fica difícil escolher seis posts para colocar aqui! hahaha

Em maio teve de tudo: post pessoal, desabafo, indicações de filmes, várias resenhas de livros, e até que bastante coisa de beleza, que quase não estou acostumada a falar! Apesar de escolher só seis pra colocar aqui, você sabe que pode navegar à vontade pelas páginas, categorias e arquivos do blog! 😉

resumomaio16_01

01- Já falei várias vezes sobre esse post e de como foi importante voltar a nadar para mim, mas acho bem válido citar mais uma vez!

02- Apesar de fazer tempo que não posto sobre os parques da Disney, o Hollywood Studios é um dos meus preferidos e ele me lembra de continuar a fazer os roteiros aqui no blog!

03- Protetor solar é mega importante e achar o ideal para você é bem complicado. Testei três para pele oleosa e contei o que achei aqui.

04- Teve uma série bem completa sobre cuidados para a pele no frio. Esse foi o primeiro, mas ainda tivemos hidratantes corporais aqui, faciais aqui e para mãos e pés aqui.

05- Estou brincando muito na cozinha de casa e ver esse lanche mais uma vez já faz meu estômago se manifestar! É tão fácil de fazer!

06- Resenha de livro não faltou nesse mês e para ilustrar essa categoria maravilhosa, escolhi “Mentirosos”, da E. Lockhart que é uma obra pouco conhecida, mas que todo mundo que gosta de mistérios deveria ler!

Agora chegando junho, mais frio 😛 e muitas coisas gostosas de comer debaixo do cobertor! Fazer várias maratonas também, e lógico, vou sempre indicando aqui para vocês!

Beijos! =)

Dia-a-Dia, Vamos Falar Sobre
18 maio 2016 • Por Giu Menezes

Diário da Giu: lesão muscular, consultas no GRAACC e a volta à natação!

Quem me segue no Snapchat e no Instagram (já segue? giulianamenezes nos dois!), viu que ontem postei fotos do meu retorno à natação… Pois é, depois de uns 8 anos parada de vez, e uma tentativa mínima de voltar há uns 4 anos, dessa vez eu acredito que é para valer e quis contar um pouquinho como essa decisão foi tomada!

Já comentei aqui também que há um mês mais ou menos eu machuquei o músculo da minha coxa direita de novo. De novo porque, há 2 anos eu fiz isso depois de dar mal jeito em um exercício no pilates e forçar demais na caminhada que eu fazia na época. Meu músculo fadigou de tal forma que eu não conseguia dar um passo sem vacilar e não sentir muita dor. Fui ao médico, principalmente porque estávamos preocupados em ser alguma manifestação de soltura da prótese, mas era realmente uma lesão muscular. Lembro de ter ficado de repouso intenso por uma semana e usar muletas por duas, para o músculo conseguir se recuperar de verdade. Dessa vez, a lesão não foi tão intensa: fiquei de repouso, mas não precisei das muletas e acabei por recuperar mais rápido.

natacao_01

Natação versão 2007 – touca da Hello Kitty desde sempre 😀

A sorte dessa vez é que isso aconteceu antes das minhas consultas regulares no GRAACC, então minha mãe foi com uma lista preparada de perguntas a fazer para meus médicos. Foi uma das melhores consultas que já tive: conseguimos falar tranquilamente com a oncologista e o ortopedista e só teve notícia boa! A primeira? Um dos nódulos do meu pulmão ou sumiu de vez ou reduziu o suficiente para não aparecer na tomografia! Uhul! 😀

A outra é que a recuperação da minha cirurgia na época foi melhor do que o esperado! Eles sempre dizem que eu ando bem, sem mancar (a não ser quando estou com dor ou cansada, mas é normal), tenho uma ótima flexibilidade do joelho (dobro o máximo que a prótese permite) e quase não tenho reclamações! Me explicaram que essa lesão muscular nada tem a ver com a prótese em si, tanto que vimos o raio X da perna no dia e está tudo bem! Mas tanto a oncologista quanto o ortopedista disseram que o fato de eu ter sido atleta antes do tratamento ajudou demais na recuperação, mas estava faltando agora no fortalecimento da minha musculatura. Eu nunca vou recuperar o que tinha antes, tanto que minhas pernas sempre serão levemente diferentes, uma mais fina do que a outra, porque não dá pra treinar só a que sofreu mais. No entanto, a minha rotina de exercícios estava fraca para a minha memória muscular, então eu tinha que fazer algo a mais – e a Dra. Carla falou firmemente que eu deveria voltar a nadar.

Uma dor ou outra de vez em quando é normal. Assim como ajoelhar sempre vai me incomodar porque é o contato do metal com a patela e a pele direto. Ficar muito tempo com o joelho dobrado, muito tempo em pé também são coisas que vão me incomodar sempre, porém o que eles frisaram muito é que eu posso não me considerar uma pessoa deficiente pelo fato de fazer a maior parte das coisas tranquila e normalmente, mas o fato é que eu sou. Eu sempre vou ter limitações, nunca vou poder fazer alguns movimentos 100% e verdade seja dita né: eu não tenho 1/3 do meu osso original que foi substituído por um pedaço de metal que um dia deverá ser trocado. Eu tenho que regularmente prestar atenção se estou sentido algo diferente, controlar meu peso para não ficar sobrecarregado para a prótese. Inclusive esse foi outro ponto que perguntamos: eu pretendo um dia ficar grávida e todos sabemos que o ganho de peso é iminente, mas e aí? Minha médica deixou claro que se eu estiver fazendo exercícios desde já, na gravidez deverei continuar. E o acompanhamento nutricional deverá ser super regrado. Faz parte, né?

natacao_02

Natação versão 2016 – e a touca da Hello Kitty sempre presente! haha

Falando sério, eu não tenho problema nenhum em ser deficiente – eu até diria que tenho muita sorte da deficiência e limitações que eu tenho. Mas às vezes acho que por não ser algo visível, as pessoas desconfiam ou ironizam. Não, eu não pego fila preferencial em mercados, cinemas ou coisas do tipo, mas eu poderia. E deveria. Já disse ali em cima que ficar muito tempo em pé me incomoda e às vezes sinto dor. Mas as pessoas olham torto né? Semana passada fui ao banco e tive que passar por aquelas portas giratórias que eu sempre travo. A segurança ficou insistindo que eu tinha algo na bolsa quando eu disse que era a prótese que apitava. A resposta dela foi: “não é isso não, tem alguma coisa de metal na sua bolsa” – sendo que eu já tinha tirado chave, celular, óculos… Eu respondi para ela dizendo que uma vez entrei no banco sem nada, nem o celular e apitei de qualquer jeito. Chato né? Eu sei e entendo que seja questão de segurança, mas não era a primeira vez que ia àquele banco especificamente e passava com ela. Enfim, não cheguei a mostrar o laudo que ando na carteira para comprovar minha prótese, mas se necessário ele tá aí. Geralmente não me incomodo com isso, sou revistada por aproximação toda vez que passo em aeroportos, mas essa vez fiquei chateada.

Bom, depois de tudo isso que ouvi dos médicos, tomei mesmo consciência de que eu preciso fazer mais por mim mesma e para fortalecer minha musculatura. Aproveitar também enquanto ainda sou nova, né? Voltei a nadar ontem e, apesar de ter sentido leves dores no corpo todo, de estar com a resistência longe de ser boa, fiquei tão, mas tão feliz de estar de volta à piscina! É aquele lugar e momento em que eu desligo de tudo e todos, só fico ali, eu e a água… Tinha me esquecido do quanto isso me faz bem! 

Agora estou fazendo pilates de segunda e quarta, como já fazia, e natação de terça e quinta. Sexta vou deixar para tentar me recuperar, mas to com a impressão de que daqui um tempo não vai ser preciso e devo enfiar alguma atividade nesse dia também! Estou muito animada e muito empolgada – como não me sentia há tempos com algo assim!

Esse post que era para ser bem mais simples, só contando da minha volta para a natação, acabou por ser um desabafo também! Acho que abusei, né? haha

Beijos! =)